domingo, 26 de setembro de 2021

Haganai Volume 3 - Capítulo 3


Capítulo 3: O Telefone Silencioso

O terceiro dia das férias de verão.

– Ei, pessoal. Por que nenhum de vocês veio ontem?

Eu, que tinha acabado de chegar na sala do clube por volta das três da tarde, perguntei aos meus camaradas membros do Clube.

A propósito, hoje tanto a Yozora quanto a Sena tinham chegado antes de mim.

– Kodaka-senpai, você ficou solitário porque não conseguiu encontrar a Rika?

Disse a garota vestindo um jaleco branco sobre seu uniforme e que, por alguma razão, tinha um sorrisinho no rosto.

Shuguma Rika, caloura.

Ela aparentemente é um gênio, embora você jamais pudesse imaginar isso pelo modo como ela é louca por doujinshis eróticos... especialmente pelo modo como ela age de forma insana quando se trata de coisas sobre mecha x mecha.

Ela é um dos membros do Clube dos Vizinhos.

Yukimura também estava na sala.

Kobato, como de costume, estava sendo uma hikkikomori e Maria também não estava aqui.

– Eu não fiquei solitário nem nada, estava apenas me perguntando...

– Hmph, eu tinha coisas para fazer ontem.

Disse Yozora, despreocupadamente.

– Coisas para fazer, hum... Acho que não há nada que se possa fazer nesse caso...

Em seguida, foi a vez de Sena (que por alguma razão estava com os olhos inchados) dizer alguma coisa.

– Eu também estava realmente ocupada.

– Ocupada?

– Eu imaginei que fosse terminar rápido para poder vir para a sala do clube, mas aquilo acabou me tomando quatro horas a mais do que eu tinha imaginado. Foi um final realmente tocante, no entanto, então valeu a pena. Aquela cena em que a Mikan atinge seu objetivo foi simplesmente...

Seus olhos começaram a lacrimejar e ela fungou um pouco o nariz.

Eu não tenho certeza absoluta, mas acho que ela não veio porque ficou muito entretida com algum jogo.

– Eu vou emprestá-lo para você alguma hora, então é melhor você jogar, Kodaka. Você estará desperdiçando sua vida se não jogar.

– ... Claro, se eu estiver a fim.

Agora que penso nisso, eu consegui o final do Masaru (o amigo homem do protagonista) naquele jogo ‘Tokimemo’ que ela me emprestou e nunca mais voltei a jogar.

– Além disso, a música tema é muito boa. Nós deveríamos fazer dela nosso hino nacional! Quando você recomeça o jogo depois de finalizá-lo uma vez, você pode sentir totalmente como a música se conecta com a cena final e—

– A-a propósito!

Eu rapidamente tentei mudar de assunto, uma vez que se não fizesse isso, quem sabe por quanto tempo eu teria que aturá-la enquanto ficava falando sobre seus galges.

– O que?

Sena mostrou uma expressão irritada em seu rosto.

– Hum?

Yozora também olhou na minha direção (enquanto deixava claro em seu rosto que achava as divagações de Sena irritantes como o inferno e silenciosamente esticava a mão para pegar seu mata-moscas).

Rika e Yukimura também olharam para mim.

– Para garantir que ninguém acabe vindo aqui para matar o tempo quando ninguém mais pretende aparecer, acho que deveríamos encontrar um modo para que saibamos que todos estão vindo.

– ... Hmph. Você pode estar certo.

Yozora deu sua aprovação para o que eu estava sugerindo.

– Não é uma má ideia, considerando que vem de você, Kodaka.

Disse Sena.

– Então, o que especificamente deveríamos fazer?

– Eh? Hum, eu não tenho certeza...

Eu realmente não tinha pensado em nada além disso.

– Que tal usarmos um BBS[1] na Internet? Podemos conseguir um de graça, certo?

Eu tentei a primeira coisa que me veio à mente.

– Rejeitado.

– Sem chance.

Yozora e Sena disseram ao mesmo tempo.

– Vocês mal pensaram sobre isso! Por que não podemos usar um desses!?

Yozora e Sena exibiram expressões que mostravam um profundo desgosto do fundo de seus corações.

– ... É minha regra pessoal não usar a Internet para mais nada que não seja pesquisar e fazer compras.

– É mesmo?

Isso era meio inesperado, mas, ao mesmo tempo, talvez não fosse.

– É assim que as coisas são agora... eu nunca mais vou fazer aquilo de novo.

Disse Yozora, com um olhar um pouco triste no rosto.

– ... Eu não vou nem me incomodar em perguntar o que seria esse aquilo que você fez.

– ... Obrigada.

Yozora me agradeceu honestamente.

Ela devia se arrepender de seja lá o que ela tenha feito.

– Eu também tive experiências ruins com essas coisas antes.

Sena disse.

– ... Ahh... apenas lembrar daquilo já me irrita! Aqueles caras... aqueles malditos ‘Yasuo’, ‘Parko’, ‘nkiya’ e ‘Mai-tan(*Д`*)HaaHaa’...! Eu também odeio aquele maldito moderador que me baniu do fansite porque pensou que eu também fosse um desses trogloditas! Aqueles idiotas podem todos morrer!

– ... Você se envolveu em uma luta com eles em algum BBS ou algo assim?

– Eu não tive escolha, aqueles malditos idiotas chamaram minha adorável Natsumi de idiota musculosa sem cérebro! O inferno que eu deixaria eles escaparem dessa! Sabe, a Natsumi pode ser daquele jeito, mas ela na verdade é muito delicada!

Sena estava começando a falar cada vez mais alto.

Eu não faço ideia do que você está tentando dizer se tudo que você me diz é “ela pode ser daquele jeito”.

A única coisa que posso dizer com certeza é que se trata de alguma personagem de galge.

– Bom, pessoas sempre vão ter seus próprios gostos de desgostos. Não tem muito que você possa fazer quanto a isso...

– Haa? Está tudo bem se você manter isso para si mesmo, mas se você vai caçoar da Natsumi na cara de uma fã dela, como é meu caso, isso é o mesmo que uma declaração de guerra! Se alguém fizer isso, então minha única opção é fazê-los calar a boca e admitir o quão idiotas foram, ou morrer tentando!

Não é como se eu não soubesse de onde isso estava vindo, mas ela ficava irritada com muita facilidade.

– ... Minha batalha contra aqueles idiotas ainda não acabou... Se eu chegar a encontrá-los na vida real, vou chutar a merda da bunda de cada um deles!

– De-de todo modo, um BBS não vai rolar, certo!?

Eu interrompi Sena, que estava rapidamente chegando a níveis críticos.

– Nesse caso, que tal aquele tal de... nixi[2]. Assim nós podemos enviar mensagens uns para os outros sem preocupações, certo?

O nixi é um serviço de rede social e você pode utilizá-lo para escrever coisas que as outras pessoas podem ler e comentar... Ao menos é assim que eu acho que funciona, pelo menos.

Uma vez que você pode manter as coisas que escreve restritas a um certo grupo de pessoas, seria uma boa escolha para que todos nós usássemos para nos comunicarmos uns com os outros... eu acho.

– Eh, Kodaka, você está no nixi? Então me envie um convite.

Disse Sena.

O nixi funciona através de um sistema exclusivo de convites e, portanto, você só pode se juntar se algum membro existente te enviar um convite.

– Não, eu não estou, mas...

– Hmph, o inferno que eu iria me juntar a esse site.

Yozora me olhou nos olhos e deu uma resposta que, por alguma razão, estava cheia de orgulho.

– A Rika também não está nesse site—

– Eu também não estou.

Rika e Yukimura disseram.

Isso faz sentido. O nixi é baseado na premissa de que você tenha amigos que possam convidá-lo, afinal...

– Então não podemos nem mesmo nos juntarmos ao nixi...

Uma pesada atmosfera preencheu a sala.

– Mas, sabem, o nixi não é a única rede social que existe por aí! Nós só precisamos escolher uma que não precise de convites!

Eu disse, mas Rika logo me parou.

– Espere um pouco, Senpai. Se a Rika pedir para os conhecidos dela na indústria de jogos, acho que podemos conseguir convites para o nixi.

– Sério? Então vamos fazer isso...

– Por mim tudo bem, mas...

Rika disse, com sua cabeça inclinada, mostrando confusão.

– Mas por que não podemos simplesmente usar nossos telefones para falarmos uns com os outros em vez de termos tanto trabalho para usar alguma outra coisa?

Yozora, Sena e eu ficamos chocados.

– Telefones... Você está falando sobre celulares?

Eu perguntei, ainda chocado.

– Hum? Bom, sim.

A selvagem ideia de que um celular pudesse ser usado para qualquer outra coisa além de ligar para casa não tinha passado nem a uma milha de distância do meu processo de pensamento.

– ... Entendo, celulares... Rika... você realmente é um gênio.... Essa é uma ideia incrível.

– Sim... eu nunca nem sequer considerei fazer isso.... Então celulares não servem apenas para procurar por karaokês... Shiguma Rika... parece que não tenho escolha a não ser reconhecer sua genialidade...



– ... É bom ouvir que todos pensam que minha ideia é tão boa.

Yozora e eu banhamos Rika com elogios, chamando-a de gênio e essas coisas, mas a Rika em si parecia estar um pouco assustada com isso.

– De todo modo, por que não trocamos nossos e-mails por enquanto?

Rika pegou um celular de um dos bolsos de seu jaleco.

Eu a segui e abri minha mochila, pegando o celular enterrado em suas profundezas.

Eu o comprei assim que entrei no Ensino Médio. É daqueles de abrir e realmente não tem nenhuma funcionalidade particularmente incrível.

A propósito, tanto a Kobato quanto eu temos celulares desde o primário e atualmente estou no meu terceiro modelo (comprei o segundo quando entrei no Fundamental).

Dei uma rápida olhada no meu registro e cada chamada que eu havia feito ou recebido era para ‘Casa’, assim como todas as mensagens enviadas e recebidas eram para ‘Irmãzinha’.

– Aqui, eu também peguei o meu.

Yozora hesitantemente mostrou seu telefone para mim.

Não havia um único ornamento ou enfeite nele, era apenas um celular simples e preto.

A propósito, parecia que o celular de Yozora também estava no fundo de sua mochila, então ela levou algum tempo até conseguir pegá-lo.

– Tudo bem, ativem o infravermelho dessa forma, por favor.

Rika disse e começou a casualmente pressionar botões em seu telefone.

– Eh, infravermelho???

Confusa, Yozora ficou olhando para a tela de LCD de seu celular, assim como eu fiz.

Do que ela está falando?

Ela realmente está tentando dizer que esses pequenos telefones atiram raios infravermelhos?

– ... Eu sinto que tenho ouvido as pessoas falarem sobre como esses telefones mais recentes são capazes de trocar dados através de raios infravermelhos.... Então isso era tudo verdade... humm.... Co-como eu faço isso?

Disse Yozora, enquanto erguia as sobrancelhas e apertava os botões de seu celular.

– Você está brincando comigo.... Quando foi que os celulares ficaram assim tão avançados...?

Rika olhou para mim e para meu espanto como se eu fosse algum tipo de Neanderthal.

– Aqui está.

Aquele que disse isso e virou seu telefone na direção do celular de Rika foi... o Yukimura.

– Yukimura...!?

– Ah, obrigada, Yukimura.

Rika e Yukimura apontaram seus celulares um para o outro por cerca de dois segundos e, então, os puxaram de volta logo depois.

– Sim! E-mail do Yukimura recebido!

– Eu também confirmo o recebimento do seu.

Disseram Rika e Yukimura.

Uma expressão inteiramente chocada surgiu no rosto de Yozora.

– Nã-não pode ser, vocês já terminaram...? Assim tão rápido...?

– Oh, cara.... As crianças hoje em dia são realmente incríveis... eu mal consigo acompanhar...

– Ahh.... Então essa é a geração virtual desse mundo digital em que vivemos.... Eu escutei que tudo é como um jogo para eles...

– ... Isso deve ser o que as pessoas querem dizer quando falam sobre crianças que desconhecem o significado de trabalhar duro...

– Isso é um pouco exagerado de se dizer, considerando que você é apenas um ano mais velho que nós, Senpai...

Rika mostrou um rosto de pena para os três de nós que estávamos tremendo de admiração...

– Pessoas como o Aniki, que confiam apenas em sua própria força, não prestam atenção em coisas simples como celulares, não é?

Disse Yukimura.

... Na verdade, deixando de lado a garota high-tech, Rika, o fato de que até mesmo o Yukimura podia usar o infravermelho com facilidade era simplesmente chocante.

Eu imaginava que ele fosse do tipo que é ruim quando se trata de tecnologia.

No entanto, agora que penso nisso, ele não parecia estar nem um pouco confuso quando estávamos jogando aquele jogo ‘Romancing Saga’...

– Arghh... Eu não entendo! Além disso, é estranho que pessoas que não tem amigos saibam usar essa máquina! Kodaka! Eu vou simplesmente fazer isso de forma normal, então me diga qual é o seu e-mail.

Yozora finalmente desistiu do infravermelho.

– Tudo bem. Estou certo de que assim vai ser mais rápido para mim também.

Uhh, meu e-mail é......... cerca de trinta segundos depois, eu consegui colocar meu endereço de e-mail e o número do meu telefone na tela do meu celular.

– Aqui.

Eu disse enquanto os mostrava para Yozora.

– Hum......... Ah, fui longe demais. Mu...

Yozora desajeitadamente apertou os botões de seu telefone, tentando digitar meu e-mail.

– ... Humm... Esse que você tem aí é um endereço de e-mail bastante complicado...

– Sim, é porque eu nunca o troquei, desde que comprei meu primeiro celular.

– ... Hum... onde estão os caracteres especiais...?

.............................

.....................

Depois de dois minutos inteiros, Yozora terminou de digitar meu endereço de e-mail e meu número em seu celular.

– Ufa...

Yozora secou a testa e deixou escapar um suspiro, como se tivesse acabado de completar uma tarefa insanamente difícil.

– Tu-tudo bem.... Agora eu vou te enviar alguma coisa, Kodaka. Um e-mail. Um e-mail usando meu celular.

– Tu-tudo bem...!

Yozora nervosamente apertou alguns botões e, em seguida, apertou em enviar.

Cerca de um segundo depois, as palavras ‘E-mail recebido’ apareceram na minha tela.

Então, dois segundos depois, o telefone começou a fazer ‘Ding di-ng’ quando o ringtone pré-definido começou a tocar.

– Eu recebi!

– Você recebeu!?

Gritou Yozora com uma voz alegre.

O e-mail estava intitulado como ‘E-mail’ e a palavra ‘E-mail’ também estava escrita no texto do e-mail em si.

Uhh, acho que esse é o e-mail da Yozora.

eternalfriendship2@codomo.ne.jo

Eu fui e acrescentei ‘Mikazuki Yozora’ a minha lista de contatos.

– Ohhh... Meu primeiro endereço de e-mail de alguém além dos meus familiares...!

Isso era quase como algum tipo de ocasião importante ou algo assim!

Yozora mostrou uma expressão de surpresa após escutar o que eu tinha acabado de dizer.

– Eu sou? E quanto aos e-mails das pessoas das outras escolas que você frequentou antes...?

– ... Eu nunca anotei o e-mail de ninguém. Na festa de despedida, alguns caras disseram “Me mande seu e-mail depois”, mas eu acabei nunca trocando e-mails com nenhum deles...

– .........

Yozora tinha um olhar de simpatia em seus olhos e, em seguida, murmurou.

– Oh, entendo... então eu sou seu primeiro e-mail não familiar...

Um sorriso afetuoso surgiu em seu rosto apenas por um instante.

E, em seguida, ela disse, por alguma razão em um tom triunfante:

– A propósito, eu nunca nem sequer adicionei os e-mails dos meus familiares. Você é o meu primeiríssimo contato, Kodaka.

... Eu não sei o que você espera que eu diga sobre isso, Yozora.

– Muu-. Eu não teria me importado em ensinar a vocês como usar o infravermelho, mas quando a Rika vê vocês dois se divertindo tanto assim, parece que fomos nós que perdemos aqui...

Rika disse com um olhar insatisfeito no rosto. Então, completamente de repente,

– Hmph, é apenas um celular idiota.

Disse Sena, que estava anormalmente quieta até agora, como se estivesse cuspindo as palavras.

– ...? Com o que você está tão irritada?

– Eu não estou irritada!

Disse Sena, que parecia estar de mau humor.

– Se você diz.... De todo modo, vamos, me passe seu e-mail também.

Eu disse, o que apenas pareceu deixar Sena ainda mais irritada.

– ... enho um...

Ela murmurou com os lábios franzidos.

– Eh?

– Eu não tenho um celular!

Sena gritou com toda a força de seus pulmões, o que surpreendeu Rika e Yukimura.

– O-oh, você não tem um...

Sena olhou para mim e disse,

– Só para você saber, eu não estou com inveja de vocês ou nada assim!! Não é como se não ter um celular seja um problema para mim, e mesmo que eu tivesse um, isso não me faria nenhum bem! Celulares são coisas para aquelas garotas irritantes e retardadas da minha classe usarem! Uma nobre como eu não teria nenhum uso para uma coisa dessas!

– ... Uh-hum... tu-tudo bem. Sim, existem várias pessoas que dizem não precisarem de um celular, certo?

– Exatamente! Esqueça essa coisa de celular, eu não preciso nem sequer de um telefone comum. Não importa onde eles vão ou o que estão fazendo, os plebeus deveriam ser capazes de escutar a voz angelical de uma deusa como eu!

– Uh, isso é um pouco...

Assim que eu comecei a falar,

*Ring ring ring*... Completamente do nada, o celular na minha mão começou a tocar.

– Eh!?

Chequei a tela do celular e vi um número que eu não conhecia sendo mostrado.

Pensei em quem poderia ser enquanto atendia.

– ... Alô?

– Sou eu.

Escutei uma voz vinda do telefone e de algum lugar atrás de mim.

Eu me virei e vi que a pessoa que havia me ligado era a Yozora.

– Grave meu número de telefone nos seus contatos.

– Ah, sim. Tudo bem.

Falar ao telefone com alguém que está bem na sua frente é muito estranho.

Por alguma razão, Yozora continuou falando comigo através do telefone.

– Uma vez que acabamos de configurar tudo, vamos conversar pelo telefone por algum tempo.

– Eh.... Claro, eu acho.

– Ótimo. Então vamos falar sobre o jantar de ontem a noite. O que você comeu, Kodaka?

– O que eu comi...

Enquanto estava pensando, por acaso eu acabei olhando novamente para Sena, que parecia estar ainda mais irritada que antes, a ponto de eu quase conseguir ver suas veias dilatarem.

– Vo-vocês dois! Quem se importa com o que vocês comeram ontem à noite!? Por que vocês têm que sair do assunto apenas para falarem sobre isso no telefone agora!?

– Calada, Carne. Você não consegue se calar nem mesmo quando as pessoas estão tentando falar ao telefone?

Disse Yozora, acenando a mão para Sena, dizendo-lhe para ir embora.

– Khhhhhhh!

– Ainda assim, esses celulares são muito úteis. Nós poderemos conversar até mesmo quando não estivermos juntos.

 – Então usem eles quando não estiverem juntos!!

Yozora ignorou Sena completamente e continuou,

– Com eles, nós podemos avisar a todos quando estivermos vindo para o Clube ou não. Além disso, vamos conversar sobre todos os nossos planos por e-mail de agora em diante.

– Cla-claro...

– Ghhhhhhhh...

Sena estava prestes a explodir em lágrimas.

Yozora também continuava falando, embora dessa vez ela estivesse usando um tom de voz baixo, tão baixo que era quase difícil de escutar.

A propósito, sobre meu jantar da noite passada, eu comi carne. Especificamente, era curry com carne de frango e a carne estava incrivelmente macia e saborosa.

Ela teve todo o cuidado de dizer apenas a palavra ‘carne’ em um volume normal.

– Uu-... do que vocês estão falando...!?

– Sobre algo que não tem nada a ver com você, Carne. A loja em que eu fui não tinha apenas carne de frango, mas também tinha carne de porco, carne de boi e um monte de outras coisas que estavam tão baratas que acho que deveríamos nos encontrar lá qualquer hora. Tenho certeza que todos iriam amar a carne que eles tinham lá—

– Gaaaaaahh! Cala a boca, pare de dizer carne!!!!!

Sena rugiu de repente e arrancou meu celular da minha mão.

– Ei!!

Sena levou meu celular a boca e, em seguida, gritou com toda a força de seus pulmões,

Idiota! Babaca! Retardada!!!

– Kh!?

Yozora se encolheu e afastou o próprio celular do ouvido.

Sena empurrou meu celular de volta para minhas mãos e disse “Morra!” para Yozora, antes de correr para fora da sala do clube.

– ... Maldição, seu estúpido pedaço de carne...

Yozora encerrou a ligação enquanto colocava uma das mãos no ouvido.

– Você realmente sabe exatamente o que fazer para irritar a Sena, não sabe...?

Tenho que admitir, eu estava um pouco impressionado com isso.

 

 

No ônibus e no trem a caminho de casa, e mesmo depois de chegar em casa, eu continuei abrindo meu celular e olhando para minha lista de contatos.

Depois que a Sena saiu correndo, eu troquei e-mails com a Rikka e com o Yukimura (eu até mesmo aprendi a usar o infravermelho).

Até agora, eu tinha apenas o número de casa, do celular da Kobato e do trabalho do meu pai na lista, então meu número de contatos tinha facilmente dobrado hoje.

Droga... eu não consigo parar de sorrir...

Essa noite, eu fui dormir de bom humor,

Mas...

*Ring ring ring*

O telefone tocando me acordou.

O telefone que estava tocando não era meu celular, mas sim o telefone da nossa casa.

Eu chequei a hora usando meu celular, que eu havia deixado ao lado da minha cama, e vi que acabava de passar das duas da manhã.

– ... Quem diabos está ligando a uma hora dessas...?

Eu pensei sobre ignorar, mas imaginei que poderia ser uma das ligações de outro continente do meu pai, então saí da cama para atender.

Eu desci as escadas enquanto esfregava meus olhos sonolentos e atendi o telefone.

– ... Alô, aqui é o Hasegawa falando.

Eu senti que estava sendo um pouco mais calmo que de costume.

A-Alôôô!!

Uma voz, que parecia a de alguém segurando o telefone bem próximo a boca e gritando tão alto quanto possível, soou através do meu ouvido.

Eu reflexivamente afastei o telefone do ouvido e me encolhi.

Ma-mas que diabos...!?

Enquanto eu pensava nisso,

*Ca-lick!*

... Desligaram.

– ... Que diabos, era um trote...?

Ainda irritado com a pessoa irritante que havia passado um trote no meio da noite, eu voltei para minha cama. Entretanto, assim que eu estava prestes a cair no sono novamente, o telefone voltou a tocar.

Vou ignorar.

Eu disse a mim mesmo e fechei meus olhos, mas o telefone não parou de tocar, mesmo depois de vinte segundos.

Oh, sim. Eu nunca cheguei a configurar a secretária eletrônica...

Irritado, eu me levantei novamente, desci as escadas e atendi o telefone.

– ... Alô.

Mesmo eu podia dizer o quanto eu soei irritado.

– Eek!?

Escutei um grito do outro lado da linha.

Hum, onde foi que eu já ouvi essa voz antes...?

– ... Alô?

Eu perguntei novamente e, em seguida, escutei alguém engolir em seco e dizer,

Hu-humm! A-aqui é Kashiwazaki Sena, o-o-o-o Kodaka, quero dizer, o Kodaka-san está disponível!?

Ela obviamente estava nervosa, falando tão depressa quanto possível.

– ... Eh, Sena?

Eu perguntei.

– Hu-hum? É o Kodaka?

– Sim.

Eu pude ouvir Sena suspirar aliviada pelo telefone.

– Seu idiota! Poxa, não me assuste desse jeito, seu idiota! Sua voz é assustadora, idiota!

Sem rodeios para me insultar, não é?

... Isso nem sequer faz o menor sentido.

– Você faz alguma ideia de que horas são agora...?

– E-ei, mais importante, Kodaka!

Sena divagou, perfeitamente ignorando minhas reclamações.

– Que tipo de celular você tem?

– ... Que tipo? É apenas um comum...

Eu respondi, incerto do que ela estava perguntando.

– Não. Foi. Isso. Que. Eu. Quis. Dizer! Deve ter o nome da empresa ou o número de série dele escrito em algum lugar!

– Eh... A empresa é a ∀U. Eu não sei qual é o tipo dele.

– Então descubra.

– Humm?

– Apenas faça!

– ... Tudo bem, espere.

Eu coloquei o telefone sobre a mesa, voltei ao meu quarto e acendi a luz.

Eu peguei meu celular e encontrei algo que parecia um tipo de número de modelo.

– Humm, é um M61b, eu acho.

– Um M61b da ∀U?

– Sim.

Eu pude ouvi-la escrevendo alguma coisa.

– Tudo bem, entendido. Até mais tarde.

*Ca-lick!*

Anunciando o fim de seus assuntos, ela rapidamente desligou.

O que diabos...?

 

 

O dia seguinte.

Pouco antes do meio-dia, recebi uma mensagem sem título da Yozora que não dizia nada além de “14 horas”. Então enviei um e-mail intitulado de “Hoje” para Yozora, Rika e Yukimura, no qual eu dizia “Também estarei lá por volta das 14 horas”.

Depois que terminei o almoço, saí de casa para que pudesse chegar por volta de duas da tarde.

Enquanto estava no ônibus, recebi um e-mail da Rika intitulado de “Esperando Nua”, que dizia “Estarei esperando por você nua, Kodaka-senpai♥. Ah, você acabou de imaginar a Rika pelada, não foi? Senpai, seu pervertido♥!

– ... Ela é retardada?

Eu enviei a ela uma rápida resposta, na qual escrevi apenas “retardada”.

Alguns minutos mais tarde, chegou outro e-mail da Rika.

O título era “Bunda”... avançando a linha com esse.

Estava escrito: “A propósito, a Yozora-senpai também está totalmente nua (*丿 丿)kya~ Como prova, eu anexei uma imagem da linda bundinha da Yozora-senpai para você.”

– O que!?

Eu disse em voz alta, surpreso. No entanto, depois de olhar atentamente para a imagem, vi que era apenas uma foto do cotovelo dela.

... Quantos anos ela tem? 12?

Logo depois disso, eu recebi um e-mail da Yozora dizendo: “Aquele era o braço da Rika” no campo do título e mais nada no campo do texto propriamente dito. Ela devia estar nervosa quando escreveu isso. Eu também recebi outro e-mail esquisito da Rika, que chegou quase ao mesmo tempo que o da Yozora, com o título “Iyan♥” e que dizia “A Yozora-senpai bateu na bunda da Rika com o mata moscas dela, a Rika não aguenta mais, pa-pare com is-issoooooo~~♥”.

Eu enviei um e-mail intitulado de “Eu sei” para a Yozora e ignorei a Rika.

Eu então recebi outro e-mail, dessa vez do laptop da Rika, com o título “A Verdade”, que dizia “Eh? Yozora-senpai, por que você está tirando a calcinha da Rika? Ahm~ Eu não aguento, isso é muito embaraçoso! Ahh, não me lamba aí embaixoooo! Eu não consigo parar de me contrair sempre que sinto isso! Yozora-senpai então sussurrou na orelha da Rika, que ainda estava gemendo: ‘Aqui? Você quer aqui? Sua garotinha safada’. Ela então soprou gentilmente o ouvido da Rika, o que fez a Rika perder toda a força em seu corpo e (etc)”. Eu estava lendo o e-mail estúpido dela, mas o ônibus chegou na escola então eu saí sem terminar de ler.

Hoje estava quente como sempre.

Eu entrei na sala do clube, onde Yozora, Rika (que obviamente não estava nua) e Yukimura estavam esperando.

Yozora estava deitada no sofá e parecia exausta.

Yozora apontou para Rika e virou apenas o rosto na minha direção quando disse,

– Cuidado, Kodaka... ela é uma aberração...

Ela mal conseguiu terminar de dizer isso.

– Sim, bem... eu já sei disso.

Eu disse.

Quanto a aberração em questão, no momento ela estava digitando algo em seu laptop.

Parecia que ela estava escrevendo uma novel.

– Ah, Kodaka-senpai! A Rika só descobriu recentemente que yuri pode não ser assim tão ruim! A Rika acha que ela pode ficar bem com qualquer coisa, desde que ela seja erótica!

– Você certamente está cheia de energia...

Eu me sentei no sofá, compadecendo-me de Rika, que parecia estar prestes a se lançar no espaço.

– Eu preparei chá.

Yukimura me entregou uma xícara de chá de cevada.

– Obrigado!

Eu agradeci ao Yukimura e alegremente peguei a xícara das mãos dele.

*Glug glug...* Eu bebi todo o líquido em um só gole.

... Não estava quente ou frio, era apenas um chá morno.

– Você gostaria de outra xícara?

– Eh? Sim, claro.

Eu recebi outra xícara de chá do Yukimura.

... Estava mais morno do que antes, mas eu ainda o tomei bem depressa.

– Aqui está, Aniki.

– Obrigado. Ah! Está quente...

A terceira xícara de chá estava muito quente e não era algo que eu poderia simplesmente engolir daquele jeito.

Eu olhei para Yukimura, que estava olhando para mim como se estivesse esperando por alguma coisa.

Ele provavelmente estava tentando imitar o modo como Ishida Mitsunari deu a Totoyomi Hideyoshi uma xícara de chá morno, depois uma xícara de chá ligeiramente quente e, por fim, uma xícara de chá escaldante para que ele bebesse.

– ... Humm... O Mitsunari realmente era um cara bastante pensativo.

– É uma honra receber seu elogio, Aniki.

Eu elogiei o Yukimura e ele sorriu timidamente.

– ... Mas eu ainda acho que chá de cevada é melhor frio. Não vou deixar essa passar.

– É mesmo...

Yukimura ficou um pouco desapontado.

Enquanto relaxava e bebia lentamente o chá quente que recebi do Yukimura, a porta da sala do clube se abriu de repente.

– Heh heh, então estão todos aqui, pobres plebeus! Sua deusa veio até vocês!

Foi a Sena que abriu a porta.

– Ahh, ei.

Eu disse enquanto tomava meu chá.

Yukimura manteve seu rosto inexpressivo, como sempre.

Mesmo Yozora, que normalmente tiraria sarro dela, apenas deu a ela uma olhada rápida, como se dissesse que não poderia se importar menos.

– Você está deixando o ar frio sair, será que você poderia fechar a porta agora?

Rika disse friamente, enquanto ainda digitava em seu computador e nem sequer se dava ao trabalho de olhar na direção de Sena, ao que Sena respondeu,

– Ah, desculpe...

... e silenciosamente fechou a porta.

– Vou dormir um pouco.

Yozora cruzou os braços e fechou os olhos.

– Uuu... Po-por que vocês estão tão desanimados!?

Sena rangeu os dentes, irritada, e, em seguida, disse,

– Eu me pergunto se vocês vão ser capazes de continuarem assim depois que verem isso!? Aqui, veja isso, Yozora!

Sena rapidamente caminhou até Yozora e estendeu um celular na frente dela, como se ele fosse uma espécie de selo especial de Koumon Mito.

– Heh, o que você acha agora? Eu pedi para o Papai ontem e ele comprou para mim!

Sena disse com o rosto de uma criança encantada.

– Hmph...

Yozora abriu um pouco os olhos e então voltou a fechá-los, desinteressada.

– Hum, ele não é igual ao meu?

O modelo de Sena era igual ao meu. Ele era até mesmo do mesmo tom de dourado que o meu.

– O-ohh... é mesmo? Que-que coincidência!

O rosto de Sena ficou um pouco vermelho.

– Hum, não, na verdade não...

Você me ligou no meio da maldita noite e me perguntou sobre isso... antes que eu pudesse dizer isso,

– ... igual ao do Kodaka?

Yozora disse irritadamente e olhou para o celular de Sena.

– Hehe.

Sena riu como se tivesse acabado de ganhar alguma batalha.

– De todo modo, venha, vamos trocar e-mails! Vamos, depressa!

– Eh? Tudo bem...

Eu peguei meu celular.

Yozora gemeu enquanto olhava e comparava nossos celulares.

Eu me preparei para usar o infravermelho, algo que havia aprendido ontem.

– A propósito, você sabe como isso funciona?

– É claro!

Sena disse triunfantemente e apontou seu celular para o meu.

Nós rapidamente trocamos endereços de e-mail.

Sena tinha um grande sorriso atravessando seu rosto enquanto olhava para a tela LCD do celular.

– Haha... Aqui, Yozora, eu vou fazer isso até mesmo com você.

– Eu não preciso do seu e-mail.

Sena foi pega de guarda baixa pela recusa de Yozora.

– Ei! Eu fui e comprei um celular, então apenas me dê logo seu endereço de e-mail!

– ... Você quer tanto assim meu e-mail?

– Nã-não é como se eu quisesse ou nada assim! Eu não quero isso de forma alguma, mas eu imaginei que poderia deixar você trocar e-mails comigo, já que estamos no mesmo clube! Você deveria ficar agradecida!

– Entendo, obrigada. Vou me contentar apenas com seus sentimentos.

– Eu não posso te ligar usando apenas meus sentimentos!

Yozora olhou para Sena com seus olhos cheios de nojo.

– ... Hpmh, fazendo uma cara tão gananciosa... olhe para essa vadia. Se você quer isso tanto assim, então me prove.

– Provar...? Ah, eu não vou lamber seus pés, entendido~? Uuu~ Ótimo, esqueça, Yozora estúpida!

Sena correu para fora da sala do clube com algumas lágrimas nos olhos.

– ... Ela desistiu muito rápido...

Sussurrou Yozora, que parecia apenas um pouco triste.

Depois que Sena saiu, Yozora e eu começamos a ler como sempre fazíamos.

Cerca de 15 minutos depois, eu recebi uma mensagem em meu celular.

... Era da Sena.

“Ei vou enviar um monte de spam para aquela idiota da Yozora, então me envie o endereço de e-mail dela (^_^).”

– ... Então esse é o primeiro e-mail que você me envia...?

E ainda por cima, Yozora, que estava sentada ao meu lado, conseguiu espiar.

– ... Aquela estúpida Carne...

Um sorriso apareceu no rosto de Yozora por alguma razão.

– ... Kodaka, me deixe ver o e-mail da Carne. Eu posso muito bem dizer pessoalmente a ela qual é o meu...

... Passaram-se cerca de 30 minutos quando Sena veio correndo de volta para a sala do clube, em meio as lágrimas, para nos contar sobre os vários e-mails de um endereço desconhecido que ela continuava a receber, todos escritos apenas com ‘Morte’ ou ‘Maldição’.



[1] BBS (Bulletim Board System) é um software que permite a conexão via telefone a um sistema através de seu computador, no qual é possível interações com outros usuários, através de um chat, por exemplo.

[2] Nixi é uma referência ao Mixi, uma das redes sociais mais populares no Japão.